Post Image

Persona: Aprenda o que é e 10 passos para fazer a sua

Persona é uma ferramenta do Marketing Digital que te auxilia a saber quem é seu/sua cliente ideal, o que ele/ela pensa, como age e quais as maneiras mais eficientes de se comunicar com essa pessoa

Lembre-se do mantra do Marketing, você precisa entregar a informação certa, para a pessoa certa, na hora certa.

Imagine que você tem uma loja de roupas esportivas e decide investir em camisetas de times de futebol. Parece uma boa ideia a princípio, mas que acaba não dando retorno.

Podem haver muitos motivos do porquê as camisetas não venderam bem. Talvez estivessem muito caras, ou então seus clientes não gostaram muito delas, afinal eles preferem basketball. 

Seja qual for o motivo, ele poderia ter sido previsto se você conhecesse seus consumidores de forma mais detalhada. E não há forma melhor de fazer isso do que através da criação de uma Persona!

Sem esse conhecimento fica difícil alinhar ideias e ter insights que façam sentido e gerem resultados para a empresa. 

A persona acaba sendo uma ferramenta chave para conseguir quantificar e qualificar seu público por representar o cliente ideal.

Pareceu confuso? Deixa que eu explico!

O que é Persona?

Quando criança você provavelmente já criou algum personagem para uma história ou até mesmo já teve um amigo imaginário. 

Seguindo a mesma linha de raciocínio, digamos então que a Persona é o cliente imaginário que você vai desenvolver para guiar os seus negócios.

Como já conversamos, ela é ficcional e representa o consumidor ideal de uma empresa. Entretanto, não é por ser fictícia que a persona é inventada

Muito pelo contrário, o seu desenvolvimento precisa ser feito com cuidado e muita pesquisa, pois só assim ela conseguirá representar o consumidor real da sua empresa. 

A busca por informações vai te ajudar a criar um banco de dados completo. A partir daí fica fácil unir as semelhanças e entender quem é, realmente, o seu cliente. 

A ideia de criar uma representação menos abstrata e mais segura do seu consumidor ideal nasceu em 1983 com Alan Cooper. Designer e programador de softwares, Cooper pensou que seria uma boa ideia entrevistar uma cliente para saber como ele poderia ajudá-la.

Realmente foi uma boa ideia, porque assim ele conseguiu desenvolver diálogos que respondessem suas perguntas, gerassem insights e ainda explicassem para ele exatamente o que a cliente precisava.

Ele se deu conta da importância de saber quais eram as dores e necessidades de seu público para que pudesse fazer cada vez melhor.

 E assim surgiu a persona como conhecemos hoje, como esse personagem fictício que representa o consumidor ideal. 

Mas a grande questão quando falamos em construir uma persona é ter a consciência de que mesmo que estejamos falando de um personagem fictício ele tem que representar seu cliente real.

O objetivo é criar uma representação do seu público que facilite o diálogo com ele. 

Afinal, é mais fácil pensar que você está criando uma campanha para o João que gosta de carros sedan pois tem 2 filhos pequenos, do que uma campanha para homens entre 30 e 45 anos que gostam de carros. 

A ideia da Persona, também chamada de avatar, é afunilar as informações, para que elas se tornem mais objetivas e mais fáceis de serem usadas.

Outro ponto importante para compreender a persona é vê-la não como um personagem, mas como se fosse uma pessoa real. Ter isso em mente ajuda a deixar o processo de construção do avatar mais claro.

Existem alguns pontos-chave que precisam ser preenchidos para criar uma persona de qualidade. São eles:

  • Nome
  • Idade
  • Cidade
  • Escolaridade
  • Cargo
  • Hábitos de compra e consumo
  • Hobbies
  • interesses pessoais
  • Estilo de vida
  • Mídias que acessa com frequência
  • Objetivos de vida (profissional e pessoal)
  • Os principais problemas (dores) no seu dia a dia
  • Marcas que admira
  • Objeções quanto a sua empresa/produto

Esses são os pontos principais, aqueles que não podem faltar de modo algum. Mas para criar um avatar que realmente funcione para o seu negócio, não há nada que o impeça de acrescentar informações.

Gostou do que leu até aqui, mas tem dúvida em como fazer essa criação?


Mais a frente vamos te mostrar o passo a passo de forma detalhada. Por hora, ainda queremos esclarecer mais alguns conceitos importantes.

Existe diferença entre Persona e Público Alvo?

A resposta é sim, existe!

Público alvo é um conceito mais amplo que busca entender os consumidores a partir de semelhanças e uni-los em grandes grupos.

E mesmo se parecendo muito com a persona, o público alvo é mais amplo e menos direcionado. Até porque, enquanto na persona o resultado é a criação de um personagem completo, no público alvo é apenas um agrupamento de pessoas com interesses parecidos (Figura 1).

A imagem mostra um grande circulo que se segmenta ate chegar a persona, ele vai diminuindo e passa por mercado, segmento, público-alvo e persona. O gráfico é amarelo e cada uma de suas segmentações tem uma tonalidade.
Figura 1 – Segmentação do Mercado até Persona

Para deixar mais claro, pense que o público alvo de uma empresa de tecidos são mulheres entre 18 e 30 anos, que gostam de moda e tem um baixo poder aquisitivo.

Já a persona dessa mesma empresa é a Camila, uma mulher recém-formada em direito, que ama moda e gosta de fazer suas próprias roupas. Ela tem 24 anos e mora em Sorocaba/ SP, junto com seu namorado. Camila é estagiária em uma empresa de advocacia e tem o grande sonho de um dia abrir sua própria loja de roupas. 

Esse foi um exemplo bem simples de avatar, mas acho que deu pra notar a diferença. 

Enquanto o público alvo é bem amplo, a persona é mais completa e direta. Isso não significa que um substitui o outro. Ter um público alvo e uma persona ajuda a criar campanhas e produtos mais focados, sem se esquecer de ninguém.

Vale lembrar também que uma empresa não precisa ter apenas uma persona, afinal ela pode ter vários estilos de consumidores, bem como produtos diferentes para públicos diferentes.

Uma boa ideia é desenvolver de dois a quatro avatares para o negócio. Assim você considera todos, sem se perder entre as informações.

Ter sua própria persona é importante porque te ajuda a entender seu cliente. Saber o que ele precisa e como você pode suprir essas necessidades é a alma de todo negócio.

Lembra daquele exemplo que dei lá em cima, sobre as camisetas de futebol? É em momentos exatamente assim que seu avatar deixa claro o porquê dele existir.

As principais vantagens de se ter uma persona bem feita e coerente são:

  • Conhecer melhor seu público;
  • Saber qual a melhor linguagem e os melhores canais para se comunicar com seu consumidor;
  • Entender o quão valioso seu produto tem sido para essas pessoas;
  • Ter insights de marketing;
  • Melhorar a Experiência do Usuário (UX);
  • Entender onde a sua empresa se encaixa na vida do cliente;

Se todos esses motivos não tiverem te convencido que você precisa de uma persona, lembre- se que fazer seu cliente feliz é o objetivo de toda empresa. E se você não sabe quem ele é, essa tarefa se torna impossível.

Qual a diferença entre Persona vs Buyer Persona vs Proto Persona?

Essa é uma dúvida muito comum que as pessoas têm, afinal todas possuem algo em comum.

Buyer Persona nada mais é do que um sinônimo para Persona… simples assim! Por isso, se acostume a ouvir tanto um quanto outro.

A criação de uma Persona envolve um estudo detalhado, baseado principalmente na coleta e análise de dados. 

A Proto Persona também não deixa de ser um sinônimo de Persona, porém sua construção é feita com base no conhecimento prévio e suposições dos membros da empresa sobre seus consumidores. 

É verdade que o achismo não deve nunca ser uma possibilidade para criar um avatar, mas aqui o que realmente conta é a experiência, popularmente conhecido como feeling.

Provavelmente você deve estar se perguntando… “Legal, mas qual devo usar?”.

Aqui vai uma opinião totalmente pessoal, que você pode concordar ou não, mas que o dia a dia me mostrou ser bastante útil.

Se você tiver um time de dados (business inteligence) na sua empresa, faça uma Persona. Se não tiver esse time, faça uma Proto Persona, pois é mais simples.

A melhor forma de criar uma Proto Persona é reunindo os funcionários da empresa, em especial aqueles que trabalham diretamente com os clientes, e promover um brainstorm.

Num primeiro momento, pode pedir para que cada um esboce o que eles acreditam que seja a persona ideal. Depois compare os resultados e debata até chegarem a um consenso de como esse avatar se parece.

Por ser uma versão mais simples, não tem problema se não preencher todos os pontos mencionados no tópico “O que é Persona”. Foque seus esforços no que é mais importante no momento.

Se a criação da proto persona estiver muito difícil por não ter informações suficientes, busque por dados mais genéricos. Uma boa ferramenta para fazer isso é utilizar o Facebook Audience Insights.

A plataforma oferece a um esboço do perfil dos usuários, que podem ser filtrados por idade, gênero, localização e até interesses. 

Saber, mesmo que de forma superficial, quais são as características principais de um grupo pode ser a luz que você precisava para sua proto persona.

Como criar uma persona em 10 passos??

Agora que já entendemos a importância e necessidade da persona para o sucesso de um negócio, chegou a hora de criar a sua!

O processo é mais simples do que parece. Apenas não se esqueça que estamos tentando nos aproximar o máximo possível dos clientes reais. 

Para deixar tudo mais fácil, vamos criar juntos uma persona para uma loja de artigos esportivos.

Passo 1: Conheça seu público

Nada é mais importante do que saber com quem você está trabalhando. Não se deixe levar por achismos, mas faça pesquisas e procure dados que realmente te ajudem a ter uma visão real de seus clientes. Você pode se surpreender!

A melhor forma de checar esses dados é no seu sistema de CRM (Sistema de Relacionamento com o Cliente), ou mesmo no ERP (Sistema de Gestão Integrado), afinal alguns dados já devem existir.

Entretanto, muito do que você precisa saber (Interesses, Objetivos, Dores… ) geralmente não estão nesses sistemas, e por isso você deverá pesquisar diretamente com seus clientes.

As pesquisas podem ser quantitativas (quanti) ou qualitativas (quali)

Nosso objetivo com esse texto não é detalhar sobre pesquisas quali e quanti, por isso, se você precisa de conhecimentos adicionais sugerimos pesquisar online.

A ideia nesse momento é entender o passo a passo para criar a sua Persona. 

Passo 2: Escolha um Template de Persona

Templates são muito interessantes pois ajudam a organizar o pensamento, e já que você não é ainda um especialista no assunto, nada melhor do que usar algo que já funciona na prática.

Se você pesquisar na internet sobre “template de persona” vai encontrar milhares de modelos, desde os mais simples e menos bonitos, até os mais sofisticados e com design impecável.

Aqui na ZMOT Institute utilizamos nosso próprio modelo (Figura 2).

A imagem mostra um tamplete completo de uma persona. Ele especifica idade, sexo,profissão, estado civil, perosnalidade, renda, interesses, objetivos, dores, objeções, argumentos, fontes de informação, marcas que influenciam e dá uma breve descrição da persona.
Figura 2 – Exemplo de Persona para loja de artigos esportivos

Acreditamos que ele seja bastante completo, e recomendamos a você utilizá-lo.

Não se assuste, aqui temos a versão final da Proto Persona que iremos criar juntos. Estou apenas mostrando o conceito para você, mas iremos abordar cada parte de forma detalhada.

Ao final, você poderá baixar esse exemplo, assim como o template, de forma totalmente gratuita.

Passo 3: Crie um Storytelling

Criar uma história para o seu Avatar vai ajudar a deixá-lo mais humano, e com isso mais fácil de relacionar com uma pessoa real.

O primeiro passo é analisar os dados sócio demográficos dos seus clientes, e tentar correlacionar com as vendas dos seus produtos/serviços.

Talvez você perceba que uma linha de produto é mais direcionada para um determinado sexo, idade ou região.

Se você não possui dados, terá que desenvolver uma Proto Persona, e com isso usar o seu feeling para descrever o cliente ideal. Faça também esse exercício de segmentar por linha de produto.

E não se esqueça, você deve dar um nome e um rosto para essa Persona, que podem ser reais ou fictícios.

Ao final desse exercício você deverá ter uma representação inicial (Figura 3) do seu Avatar.

Tamplete preenchido com idade, sexo,profissão, estado civil, perosnalidade, renda e storytelling da persona.
Figura 3 – Storytelling da Persona ou Proto Persona

Perceba que ele já parece uma pessoa de verdade, e já começa a dar um direcionamento sobre quem é o seu cliente ideal da sua empresa, ou mesmo de um segmento dos seus produtos.

Passo 3: Defina os Interesses

Saber pelo que as pessoas se interessam é a forma mais fácil de agradá-las. Busque por hobbies e gostos semelhantes que possam ser aplicados no negócio.

Não precisa se segurar! A persona representa uma pessoa real, e nós não temos um único interesse na vida. Então não se prenda e crie um avatar complexo que tenha preferências diversas.

Exemplos de interesses são leitura, política, marketing digital, carros, vestuário ou futebol. Quais vão ser os gostos não importa, o ponto é conhecê-los.

Tamplete preenchido com idade, sexo,profissão, estado civil, perosnalidade, renda, storytelling e interesses da persona.
Figura 4 – Interesses da Persona ou Proto Persona

Mesmo que você tenha um banco de dados extenso sobre seu cliente, é provável que não tenha esse tipo de informação, afinal são dados bastante pessoais e nem todas as empresas registram esse tipo de informação.

De qualquer forma, agora que você já tem uma idéia inicial do seu cliente ideal (Passo 2) pode entrar em contato com alguns deles para realizar entrevistas quali ou quanti, ou mesmo usar de suposições.

Veja o que faz mais sentido para você em termos de custo-benefício.

Lembre-se apenas que durante a entrevista você irá validar todos os passos apresentados, não apenas o Passo 3.

Passo 4: Defina os Objetivos da Persona

Quais são os objetivos da sua buyer persona? O que ela deseja? Onde ela quer chegar? Quais são seus sonhos?

Conhecer os objetivos de vida de uma pessoa é uma ótima forma de saber como ajudá-la, afinal sua empresa estará atuando no que há de mais importante e valioso. 

No caso do João, o avatar da loja de artigos esportivos, seu objetivo é ter uma coleção de camisas de todos os times da NBA. Como podemos ajudá-lo com isso?

É através dessa finalidade, das aspirações de seus clientes, que conseguimos pensar em novos produtos ou serviços que serão úteis. 

Tamplete preenchido com idade, sexo,profissão, estado civil, perosnalidade, renda, storytelling, interesses e objetivos da persona.
Figura 5 – Objetivos da Persona ou Proto Persona

À medida que vamos avançando, o perfil do João vai ficando mais claro. É assim que as coisas acontecem no dia a dia.

Passo 5: Defina as Dores

Uma vez que os objetivos estão claros, chega o momento de entender as dores do cliente. Um sinônimo bastante utilizado é pain points

Por que a persona ainda não atingiu seus objetivos? Quais os maiores desafios? O que tem atrapalhado?

Conhecer os motivos que impedem o avatar de alcançar o que deseja faz com que os caminhos entre a empresa e o cliente fiquem mais iluminados. 

Tamplete preenchido com idade, sexo,profissão, estado civil, perosnalidade, renda, storytelling, interesses, objetivos e dores da persona.
Figura 6 – Dores da Persona ou Proto Persona

No exemplo loja de artigos esportivos que estamos criando juntos, se soubermos que as camisas de basketball são importadas e que não é fácil encontrá-las na cidade, mas sim em sites estrangeiros, já conseguimos entender bastante sobre o processo de compra. 

Passo 6: Defina as Objeções

Definir as objeções é basicamente pensar quais são os empecilhos entre você e a persona. Tente descobrir os principais motivos que levaram, ou poderiam ter levado, as pessoas a não comprarem da sua empresa.

A ideia aqui é saber, de forma clara, o que leva as pessoas a desistirem de comprar. 

Talvez sua empresa esteja oferecendo exatamente o que ela deseja, mas ainda assim não é suficiente a forma como você está se comunicando.

Será que o cliente não conhece seu negócio e portanto não confia? Ou talvez ele ache que o preço cobrado é muito caro pelo que oferece? Será que está checando sua reputação online e confiando demais nos reviews negativos, ou mesmo não encontrando nenhuma informação?

Para desenvolver esses questionamentos as perguntas qualitativas são perfeitas. 

Peça para os entrevistados te explicarem como escolheram pelo seu negócio, ou se tinham alguma dúvida ou receio antes de chegarem até você.

Respostas negativas são extremamente úteis aqui, porque te ajudam a ter uma ideia clara de quais melhorias o consumidor deseja.

Tamplete preenchido com idade, sexo,profissão, estado civil, perosnalidade, renda, storytelling, interesses, objetivos, dores e objeções da persona.
Figura 7 – Objeções da Persona ou Proto Persona

Entendendo que o João não possui cartão de crédito internacional, e com pouco limite, sabemos que formas de pagamento locais e facilitadas podem ser um diferencial competitivo. 

Passo 7: Defina os Argumentos de Convencimento

Sabendo das objeções, procure por argumentos e/ou narrativas que as convençam. 

Mostrar para sua Buyer Persona que você pode responder às suas perguntas, suprir suas necessidades e que, principalmente, muitas outras tantas pessoas aprovam seu produto/serviço, deixará o cliente mais próximo e seguro em relação ao negócio.

Se uma das objeções do avatar é a falta de confiança, mostre que a empresa tem conhecimento no ramo e oferece meios, como uma caixa de reclamações ou assistência ao cliente, para estabelecer credibilidade.

Procure se certificar que todo o seu composto de marketing comunica essas mensagens, que são as mais importantes para que o cliente converta.

No caso do João, que não tem fluência em inglês mas é antenado em tecnologia, uma seção dedicada a basketball é imprescindível, tanto no site quanto na loja. As descrições e apresentação do produto também precisam ser todas em português.

Tamplete preenchido com idade, sexo,profissão, estado civil, perosnalidade, renda, storytelling, interesses, objetivo, dores, objeções e argumentos da persona.
Figura 8 – Argumentos de Convencimento da Persona ou Proto Persona

Passo 8: Defina quais as Fontes de Informação

A linguagem e o meio por onde a empresa se comunica com o público precisam ser bem definidos. 

Se sua persona é um jovem de 15 anos que passa o dia no Instagram e Youtube, não adiantará em nada tentar se comunicar com ele por um jornal impresso, ou mesmo TV.

Saber onde seu cliente se informa e onde costuma buscar conhecimento, lhe dará os meios certos para chegar até ele. E não pense que por meios estamos falando apenas de redes sociais.

O importante aqui é saber, de forma efetiva, o que seu cliente está utilizando, e não apenas o que está na moda.

Procure ser o mais objetivo possível, colocando os canais, perfis e fóruns, e não apenas o nome do meio.

Sabendo onde falar, pense também no como. A linguagem que será usada pode variar entre o formal e o coloquial, pode usar mais gírias, emojis, imagens ou até mesmo memes, por que não? 

Estabelecer a comunicação pode ser feita de infinitas maneiras. Um anúncio no Youtube, por exemplo, pode ser a forma mais fácil e certeira de chegar até o seu cliente ideal.

Se funciona para o seu público, não tenha medo de se aventurar. 

Tamplete preenchido com idade, sexo,profissão, estado civil, perosnalidade, renda, storytelling, interesses, objetivos, dores, objeções, argumentos e fontes de informação da persona.
Figura 9 – Fontes de Informação da Persona ou Proto Persona

No caso do João, que é viciado em redes sociais, tem interesse por tecnologias e esportes, foi possível mapear quais as redes sociais e sites mais utilizados(as).

Passo 9: Defina as Marcas que o Influenciam

Todos nós somos inspirados e influenciados. As marcas e pessoas nas quais nos espelhamos dizem muito sobre nós e ajudam a nos moldar. 

O mesmo acontece com a Persona, afinal ela é a representação de uma pessoa real… lembra?!

Saber que seu avatar é um homem de 35 anos, formado em veterinária, que acabou de abrir seu próprio consultório e adora carros é bom. Saber que ele é apaixonado pela Ford Ranger é melhor ainda!

Através dos interesses e das marcas que inspiram a persona conseguimos atingir seu emocional. É muito mais inteligente usar como argumento que seu produto é forte e pronto para os desafios do dia a dia, como uma Ford Ranger, do que simplesmente dizer que ele é bom.

Outra vantagem aqui é que você pode entender como essas marcas estão se comunicando, e também se inspirar.

Pense que muitas delas têm departamentos de marketing gigantescos, e anos de experiência. Com certeza eles sabem muito sobre o cliente, e como influenciá-lo.

A imagem mostra um tamplete completo de uma persona. Ele especifica idade, sexo,profissão, estado civil, perosnalidade, renda, interesses, objetivos, dores, objeções, argumentos, fontes de informação, marcas que influenciam e dá uma breve descrição da persona.
Figura 10 – Marcas que Influenciam a Persona ou Proto Persona

Entrevistando o João, ou pesquisando no Facebook Insights dados sobre pessoas com características sócio demográficas como as dele, poderíamos identificar que NBA e Adidas são suas marcas preferidas.

Assim, poderíamos criar ações para vender mais utilizando Upsell e Cross Selling.

Se você já tem o cliente, e sabe do que ele gosta, por que não vender mais, melhorando assim seu faturamento e lucratividade?

Passo 10: Refine sua Persona Usando Dados

A persona, assim como qualquer ser humano real, está em constante evolução. Ela pode envelhecer, mudar de interesses ou ter novos objetivos de vida. 

Isso significa que a buyer persona não é estática! Ela precisa de constantes atualizações para poder acompanhar o ritmo de mudança dos clientes reais. 

Uma persona criada hoje definitivamente não conseguirá espelhar seu público ideal daqui a 5 anos.

A frequência de atualização pode variar de acordo com o negócio, ou mesmo pela situação de mundo que estamos passando.

Imagine que o dono de um restaurante executivo durante a pandemia, por exemplo. O cliente dele não se comporta mais do mesmo jeito, e por isso precisará se adaptar.

Qual a melhor forma de fazer isso se não entendendo o cliente e oferecendo o que ele deseja?

Então, uma forma de manter seu estudo sempre em dia e não correr o risco de perder oportunidades é pensar nisso como um refinamento.

Recomendamos fazer isso a cada 6 meses, talvez 1 ano. Se houver mudanças muito abruptas de contexto, também faça essa revisão.

Use os dados que você já tem, recolha novos constantemente e compare-os. 

Uma boa forma de conseguir novas informações é pedir para que seu cliente preencha um pequeno formulário ao fim da compra. Assim, você sempre estará atualizado. 

Agora que você já sabe todos os passos necessários, acreditamos que esteja pronto para começar a desenhar a sua Persona… basta praticar.

Gerador de Persona

Muitos sites prometem oferecer a persona perfeita e para isso você só precisa cadastrar seu e-mail. Mas não é bem assim que deveria funcionar.

Deu para perceber que a persona é um avatar extremamente bem definido, com características únicas e completamente personalizado para cada empresa. Por isso que nem sempre os geradores de persona são bem vindos.

É verdade que eles podem ser úteis e que existem alguns muito bons por aí, como é o caso do gerador da HubSpot e o da uxpressia. A questão é ter consciência de que ele precisará de reparos e de refinamentos para ser posto em prática.

Para facilitar ainda mais a sua vida, estamos disponibilizando de forma totalmente gratuita, o template que utilizamos em nosso passo a passo.

Além disso, daremos também um roteiro de entrevista, com perguntas que você pode/deve utilizar para criar sua persona.

Para ter acesso a tudo isso basta preencher o formulário abaixo que enviaremos todo o material para o seu email.

Conclusão 

A persona pode ser facilmente considerada uma das ferramentas principais quando pensamos em melhorar e otimizar o marketing de uma empresa.

Fácil de ser aplicada, ela vai te ajudar a entender as necessidades e problemas que seu consumidor enfrenta. Te oferecendo um alvo claro para ser mirado.

A grande chave para construir e trabalhar bem com uma buyer persona é pensar nela como um cliente real, com problemas e necessidades que são resolvidas pela sua empresa, produto ou serviço.

Acreditamos que com o passo a passo que apresentamos aqui, juntamente com o template, você tenha todas as informações necessárias para construir sua(s) Persona(s).

Recomendamos começar de forma simples, e ir evoluindo. Nada sai perfeito da primeira vez.

Compartilhe com as pessoas do seu time, ou mesmo com seus principais clientes, e peça feedbacks construtivos, tanto positivos quanto negativos.

Agora que você já sabe o que é uma persona e como criar a sua própria, que tal deixar um comentário? 

Nos conte se tem alguma dúvida, se gostou do texto, se já conhecia a ferramenta e como tem feito a mapeamento das suas personas.

Se precisar de alguma ajuda, não deixe de entrar em contato conosco. Será um prazer ajudar.

Author Photo
Rodrigo Wiethorn é Administrador de Empresas pela UFSC, entusiasta de Tecnologias Web, Darwinismo, Economia Compartilhada, Marketing e Comportamento do Consumidor, temas estes abordados em seu blog ZMOT Institute e portais como Digitalks e Startupi. Atua como COO da Hostinger Brasil, apontada pela publicação The Huffington Post como uma das 5 empresas que está ajudando a mudar o mundo através do empoderamento das pessoas pela internet. Conquistou o Prêmio Top de Marketing e Vendas da ADVB/SC 3 anos consecutivos (2017-2019), assim como a certificações Great Place to Work (GPTW), o Selo RA 1000 do site Reclame Aqui bem como o Prêmio Empresa Cidadã 2018 da ADVB/SC